CEA - Certificação Especialista de Investimentos

Certificação CEA – Especialista em Investimentos ANBIMA

  • 12 minutos
  • 231
  • sem comentários.

3 semanas atrás

POR: Kleber Stumpf

Certificação CEA, o que é?

Enquanto a certificações bancárias da CPA 10 e CPA 20 tem o objetivo de comprovar a qualificação dos profissionais que atuam como gerentes bancários (em agências ou telefone) a certificação CEA é a certificação profissional que qualifica os profissionais que assessoram os gerentes de conta.

A certificação CEA se dá através de uma prova técnica onde são cobrados os conhecimentos sobre o mercado financeiro em geral, crimes de lavagem de dinheiro, análise de investimentos e principalmente sobre os produtos dos quais estes profissionais irão assessoras os gerentes.

Quem pode fazer a Certificação CEA?

Para realizar a prova não existe nenhum pré-requisito acadêmico ou exigência de vínculo com uma instituição afiliada a ANBIMA para a realização da prova de certificação CEA. A diferença é que a inscrição para a prova de profissional com vínculo com instituição financeira é realizada pela área de RH do banco, enquanto o candidato sem vínculo precisa fazer a inscrição diretamente.

Quanto Custa?

A inscrição para a realização da prova para certificação CEA custam R$ 662,00 para associados da Anbima e R$ 794,00 para não associados. Para a aprovação é necessário um aproveitamento de 70% onde o candidato tem três horas e trinta minutos para responder 70 questões sobre os conteúdos conforme o programa detalhado da ANBIMA.

Para fazer a inscrição, basta ir ao site da ANBIMA.

Preciso comprar um Curso?

Esta é uma pergunta muito comum aqui no site. A resposta como quase tudo em finanças é… depende. O nosso simulado da CEA é sem sombra de dúvidas o melhor simulado do mercado e uma ferramenta de estudos excepcional.

Mas estudar somente pelo simulado não é suficiente pois primeiramente você precisa aprender o conteúdo, e aqui é o grande segredo. Se você não está sob pressão da sua supervisão e tem de 45 a 60 dias para estudar não é necessário adquirir um curso e você pode aproveitar tranquilamente de todo nosso conteúdo gratuitamente que você encontra logo abaixo.

Em contrapartida, se você está sob pressão e precisa com certa urgência “tirar a CEA” é sim importante você adquirir um curso. Temos então a pergunta, “Qual curso comprar?”. Tenho a resposta para você.

O melhor curso do mercado no momento é o do Tiago Feitosa. O professor Tiago é ex-bancário e sabe na pele o que você está passando. Justamente por isso ele é o único que lhe oferece 30 dias de Garantia Incondicional. Isso quer dizer que se não estiver satisfeito ele reembolsa 100% do seu dinheiro. Para adquirir o curso você pode clicar aqui.

De qualquer forma, se você optar por não fazer o curso pode estudar através do nosso simulado para CEA e todo o material gratuito disposto nos links abaixo.

Conteúdo Certificação CEA

1. SFN e Participantes do Mercado (Certificação CEA DE 5% A 15 %)

1.1 Composição do SFN;

1.1.1 Atribuições dos órgãos de Regulação e Fiscalização:

1.1.2 Instituições Financeiras:

1.1.3 Outros Intermediários (Sociedades Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários e DTVMs);

1.1.4 B3 S/A – Brasil, Bolsa e Balcão;

1.1.5 Investidores Qualificados, Investidores Profissionais e Investidores Não-Residentes;

1.1.6 Entidades Fechadas de Previdência Complementar – EFPC;

1.2.1 Atribuições da ANBIMA;

  • Código de Regulação e Melhores Práticas para as Ofertas Públicas de Distribuição e Aquisição de Valores Mobiliários;
  • Código de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento;
  • Código de Regulação e Melhores Práticas para o Programa de Certificação Continuada;
  • Código de Regulação e Melhores Práticas para Distribuição de Produtos de Investimento no Varejo;

1.3 Prevenção e Combate a Lavagem de Dinheiro ou Ocultação de Bens, Direitos e Valores;

1.3.2 Aplicação do princípio “Conheça seu cliente”;

1.4 Normas e Padrões Éticos;

  • Chinese Wall e Política de Segurança da Informação;
  • Insider trading e inside Information;
  • Front running;
  • Confidencialidade;
  • Conflito de interesses;

1.4.3 Código de Distribuição de Produtos no Varejo;

2. Princípios Básicos de Economia e Finanças (Certificação CEA DE 5% A 15 %);

2.1 Conceitos Básicos de Economia

2.1.1 Indicadores econômicos;

2.1.2 Política Fiscal;

2.1.3 Política Cambial;

2.1.4 Contas Externas: Balança Comercial, Transações Correntes, Conta de Capital;

2.2 Conceitos Básicos de Finanças:

2.2.1 Valor Presente, Valor Futuro, Taxa de Desconto e Diagrama de Fluxo de Caixa;

2.2.2 Regime de Capitalização Simples e Proporcionalidade de Taxas;

2.2.3 Regime de Capitalização Composto e Equivalência de Taxas;

2.2.4 Regime de Capitalização Contínuo;

2.2.5 Desconto Bancário ou “por fora”;

2.2.6 Taxa de Juros Nominal e Taxa de Juros Real

  • Indexador e Fórmula de Fisher;

2.2.7 Séries Uniformes de Pagamentos;

2.2.7.3 Perpetuidade;

2.2.7.4 Valor Futuro (ou Montante) de uma Série Uniforme de Pagamentos;

2.2.8 Sistemas de amortização;

  • SAC (Sistema de Amortização Constante);
  • Tabela Price;
  • SAA (Sistema de Amortização Americano)

2.2.9 Métodos de Análise de Investimentos;

  • Taxa Mínima de Atratividade;
  • Custo de Oportunidade;
  • Taxa Interna de Retorno (TIR) e Taxa Interna de Retorno Modificada;
  • Risco de Reinvestimento;
  • Valor Presente Líquido (VPL);

3. Instrumentos de Renda Fixa, Renda Variável e Derivativos ( Certificação CEA DE 15% A 25 %)

3.1 Instrumentos de Renda Fixa;

3.1.1 Formação das Taxas de Juros no Brasil;

  • A Influência das Taxas de Juros nas Empresas e no Governo;
  • A Política Monetária, seus instrumentos e o Comitê de Política Monetária (COPOM);
  • Investimentos e Cenários: relação entre os cenários econômicos e as taxas de juros;

3.1.2 Caderneta de Poupança;

3.1.3 Principais características de Títulos Públicos e Privados;

3.1.4 Indicadores de Renda Fixa;

  • Índice de Mercado ANBIMA – (IMA-B, IRF-M e IMA-S);
  • IDkA – Índice de Duração Constante ANBIMA (segmento Prefixado e segmento IPCA);

3.1.5 Estrutura Temporal das Taxas de Juros;

  • Projeção da curva de Juros Prefixada;
  • Projeção da curva de Cupom Cambial (dólar/euro);
  • Projeção da curva de Cupom de IGP-M e IPCA;

3.1.6 Estrutura de Negociação do Mercado de Títulos Públicos e Privados;

  • Leilões e Mercado de Balcão;
  • Negociação no Mercado Primário e Secundário;

3.1.7 Tesouro Direto;

3.1.8 Principais Títulos Públicos negociados no Mercado Interno;

  • Letras do Tesouro Nacional (LTN);
  • Letras Financeiras do Tesouro (LFT);
  • Notas do Tesouro Nacional (NTN-B; NTN-B Principal e NTN-F);

3.1.9 Principais Títulos Privados negociados no Sistema Financeiro Nacional;

3.1.9.1 Certificado de Depósito Bancário (CDB);

3.1.9.2 Recibo de Depósito Bancário (RDB);

3.1.9.3 Depósito Interfinanceiro (DI);

3.1.9.4 Depósito à Prazo com Garantia Especial (DPGE);

3.1.9.5 Notas Promissórias (NP);

3.1.9.6 Debêntures e Debêntures Incentivadas (Lei 12.431/2011);

3.1.9.7 Securitização de Recebíveis;

3.1.9.8 Títulos do segmento imobiliário:

3.1.9.9 Títulos do segmento agrícola;

3.1.10 Operações compromissadas;

3.1.11 Renda Fixa Internacional:

  • Taxas de Câmbio: Relações de Paridade entre as Moedas;
  • Transferência Internacional de Recursos;
  • Principais títulos emitidos pelo Tesouro Norte-Americano:
    • Treasury Bills;
    • Treasury Notes;
    • Treasury Bonds;
    • TIPS – Treasury Inflation-Protected Securities;
  • Títulos Brasileiros no Mercado Internacional: Global Bonds e Eurobonds;
  • Outros títulos: Certificates of Deposit (CD) e Commercial Papers (CP);
  • Repos (Repurchase Agreements);

3.1.12 Os Riscos em aplicações de Renda Fixa;

3.1.12.1 Risco de Crédito;

3.1.12.2 Ratings e sua influência sobre preços dos ativos;

3.1.13 Análise de Títulos de Renda Fixa;

  • Yield to Maturity, Current Yield e Coupon Rate;
  • Relação entre prazos dos títulos, taxas de juros, risco de crédito e formação de preços;
  • Duration de Macaulay e Duration Modificada;

3.1.14 FGC – Fundo Garantidor de Crédito;

3.2 Renda Variável

3.2.1 Ações: Tipos, Classes e Espécies;

3.2.2 BDRs – Brazilian Depositary Receipts (Patrocinados e não patrocinados);

3.2.3 Riscos no Mercado Acionário

3.2.4 Mercado de Ações

3.2.4.1 Direitos dos Acionistas

  • Acionistas Minoritários
  • Tag Along;
  • Direitos de Subscrição, Bonificação, Desdobramento de Ações e Grupamentos de Ações;

3.2.4.2 Ganho de Capital na valorização das ações, Dividendos e Juros sobre Capital Próprio;

3.2.4.3 Mercado Primário e Mercado Secundário;

3.2.5 Abertura de Capital (Initial Public Offering – IPO) e Oferta Pública de Valores Mobiliários;

  • Principais Instituições: funções e principais características;
    • Banco Coordenador
    • Agência de Rating;
    • Agente Fiduciário;
    • Banco Escriturador e Mandatário;
    • Banco Liquidante;
    • Depositário;
    • Custodiante;
    • Função do formador de mercado (Market maker) e mecanismo de estabilização de preços;
  • Subscrição Pública de Ações: O papel dos principais agentes no Processo de Underwritting;
  • Tipos de Subscrição: Firme, Residual (Stand-by) e Melhores Esforços (Best Effort);
  • Formação de Preço na Emissão das Ações: Bookbuilding; Preço Fixo ou Leilão em Bolsa;

3.2.6 Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para Ofertas Públicas de Distribuição e Aquisição de Valores Mobiliários

3.2.7 Negociação no Mercado Secundário de Ações;

  • Bolsas de Valores; Mercado de Balcão; Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2;
  • Tipos de Ordens de Negociações;
  • Operações a Vista, a Termo e Opções;

3.2.8 Índices de Bolsa de Valores:

  • Índice Bovespa (IBOVESPA);
  • Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE);
  • Índice Brasil (IBrX);
  • Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC);;
  • Índice MidLarge Cap – MLCX;;
  • Índice Small Cap – SMLL;
  • Índice de Energia Elétrica-IEE;
  • Metodologias de composição dos índices;

3.2.9 Governança Corporativa;

3.2.10 Avaliação de Investimentos em Ações;

  • Conceitos Gerais: Valor Nominal, Valor Patrimonial, Valor de Mercado e Valor de Liquidação;
  • Lucro por Ação – LPA;
  • Índice Preço/Lucro – P/L;
  • Custo Médio Ponderado de Capital;
  • Medida de fluxo de caixa(EBITDA);
  • Distinções entre Análise Técnica e Análise Fundamentalista;

3.2.11 Investimentos em Ações no Exterior;

  • Ações de Empresas Estrangeiras negociadas nos Estados Unidos e em outros mercados:
    • American Depositary Receipts (ADR) – Níveis 1, 2, 3 e 144-A;
    • Global Depositary Receipts (GDR): P
    • Principais características dos produtos e as diferenças entre os recibos e mercados;
  • Índices de bolsa de valores no exterior;
    • S&P 500;
    • Dow Jones;
    • NASDAQ;
    • MSCI World;
    • MSCI Emerging Markets;
    • Euro Stock;

3.2.12 Clubes de Investimento em Ações;

3.3 Mercado de Derivativos;

3.3.1 Conceitos Gerais de Derivativos;

3.3.2 Formas de utilização dos Contratos Derivativos: Principais estratégias, os riscos e suas utilizações;

  • Especulação;
  • Arbitragem;
  • Hedge;

3.3.3 Mercados Futuros;

3.3.3.1 Conceitos Gerais: Definições e características operacionais;

3.3.3.2 Participantes dos Mercados Futuros;

3.3.3.3 Contratos Futuros Negociados em Bolsas: Ações, Índices, Taxas de Juros, Taxa de Câmbio e Commodities;

3.3.3.4 Contratos Futuros de Balcão de negociação de moeda sem entrega física;

3.3.3.5 Principais Estratégias com Contratos Futuros; os riscos e suas utilizações;

  • Estratégias de Hedge; conceitos e aplicações práticas;
  • Estratégias de Especulação: conceitos e aplicações práticas;
  • Estratégias de Arbitragem: conceitos e aplicações prática;

3.3.4 Mercado de Opções;

3.3.4.1 Conceitos Gerais sobre Opções; Opções Europeias e Americanas: características, os riscos e suas utilizações;

3.3.4.2 Participantes do Mercado de Opções;

3.3.4.3 Opções de Compra (Call) e Opções de Venda (Put); Titular e Lançador;

3.3.4.4 Valor e Prêmio das Opções;

  • Fatores que influenciam o prêmio de uma opção;
  • Modelo Binomial – Conceito;
  • Modelo de Black & Scholes;
  • Principais Estratégias com Opções;
  • Operação de Financiamento;
  • Box de 2 pontas e 4 pontas;
  • Straddle e Strangle;
  • Caps, Floor e Collars;
  • Opções exóticas (com barreiras);

3.3.5 Mercado a Termo de Ações;

  • Conceitos Gerais: Definições; Principais características dos contratos e forma de negociação;
  • Principais Estratégias com Mercado a Termo de Ações;

3.3.6 Swaps;

3.4 Certificado de Operações Estruturadas – COE;

3.5 Tributação para Pessoas Físicas Residentes no Brasil;

3.6 Negociação, Liquidação e Custódia;

4. Fundos de Investimento (Certificação CEA DE 10% A 20 %)

4.1.1 Definições e Aspectos Gerais;

4.1.2 Tipos de Fundos: Abertos e Fechados;

4.1.3 Fundos Exclusivos e Restritos;

4.1.4 Direitos e Obrigações dos Cotistas;

4.1.5 Administração;

4.1.6 Objetivo do Fundo e Política de Investimento;

4.1.7 Divulgação de informações para venda e distribuição;

4.1.8 Divulgação de Informações e Resultados;

4.1.9 Diversificação da Carteira do Fundo e seus Riscos inerentes; Limites por Emissor e por Modalidade de Ativo;

4.1.10 Fatores que afetam o valor da cota;

4.1.11 Dinâmica de aplicação e resgate;

4.1.12 Classificação dos Fundos quanto à Estratégia de Gestão (Ativo e Passivo);

4.1.13 Classificação CVM;

4.1.14 Outros tipos de Fundos (regidos por regulamentação própria);

4.1.15 Classificação ANBIMA. Estrutura e adequação de produtos em função dos objetivos do investidor

  • Nível 1;
  • Nível 2;
  • Nível 3;

4.1.16 Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para Fundos de Investimentos;

4.2 Carteira Administrada;

4.2.1 Conceitos Gerais;

4.2.2 Principais Características e comparação com Fundos de Investimento e Fundos Exclusivos;

4.3 Tributação em Fundos de Investimento e Carteira Administrada;

 

5. Produtos de Previdência Complementar (Certificação CEA DE 10% A 15 %)

5.1 Previdência Social x Previdência Privada;

5.2 Agentes Reguladores e legislação aplicável ao mercado previdenciário;

5.3 Produtos disponíveis de Previdência Complementar Aberta e suas características;

5.3.1 Plano Gerador de Benefícios Livre (PGBL);

5.3.2 Vida Gerador de Benefícios Livre (VGBL);

5.4 Características técnicas que influenciam o produto;

  • Taxa de administração;
  • Taxa de carregamento;
  • Portabilidade;
  • Transferência entre diferentes perfis de planos;
  • Resgastes;
  • Fase de contribuição;
  • Fase de benefícios;
    • Renda mensal vitalícia;
    • Renda mensal vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores;
    • Renda vitalícia com reversão a beneficiário indicado;
    • Renda vitalícia com prazo mínimo garantido;
    • Renda mensal temporária;
    • Renda mensal por prazo certo;
  • Pagamento único;
  • Possibilidade de pagamento de juros e/ou excedente financeiro;
  • Tábua Atuarial ou Biométrica;

5.5 O processo de venda dos produtos de Previdência Complementar;

5.6 Escolha do Tipo de Fundo de Investimento Durante a Fase de Acumulação;

5.6.1. Conceito de fundo exclusivo FIE;

5.6.2. Classificação ANBIMA;

  • Renda Fixa
  • Balanceados – até 15 %
  • Balanceados – de 15 a 30%
  • Balanceados – acima de 30%
  • Multimercados
  • Data-alvo
  • Ações

5.7 Qualidade da venda;

5.8 Tributação em Planos de Previdência Complementar;

5.8.1 Escolha do regime de tributação mais adequado ao cliente;

5.8.2 Regime Tributável ou Compensável;

5.8.3 Regime Definitivo ou Exclusivo: conceito;

5.8.4 Tributação após conversão em renda;

5.9 Planejamento Tributário utilizando Planos de Previdência Complementar Aberta;

6. Gestão de Carteiras e Riscos (Certificação CEA DE 10% A 20 %)

6.1 Estatística aplicada;

6.1.1 Medidas de posição central: média, mediana e moda;

6.1.2 Medidas de dispersão: variância e desvio padrão (volatilidade);

6.1.3 Medidas de associação entre duas variáveis: covariância, coeficiente de correlação e coeficiente de determinação;

6.1.4 Distribuição Normal;

6.1.5 Intervalo de confiança em uma distribuição normal;

6.2 Risco, Retorno e Mercado;

6.2.1 Mercado Eficiente;

6.2.2 Risco e Retorno Esperados;

6.3 Seleção de Carteiras e Modelo de Markowitz

6.3.1 Retorno Esperado de uma Carteira; Retorno esperado de uma carteira de até três ativos

6.3.2 Diversificação do Risco de uma Carteira e o Modelo de Markowitz

6.3.3 Ativos com Correlação nula

6.3.4 Risco Diversificável e Risco Sistemático (não diversificável)

6.3.5 Taxa Livre de Risco e Prêmio pelo Risco de Mercado

6.3.6 A Fronteira Eficiente

6.3.7 Escolha da Carteira ótima

6.4 Modelo de Precificação de Ativos ;

6.4.1 Reta do Mercado de Capitais (Capital Market Line – CML);

6.4.2 Reta Característica

  • Coeficiente alfa
  • Coeficiente beta: O risco sistemático
  • Risco não sistemático
  • Reta do Mercado de Títulos (Security Market Line – SML)
  • Arbitrage Pricing Theory – APT;

6.5 Alocação de Ativos;

6.5.1 Asset Allocation;

6.5.2 Definição de classes de ativos e correlação entre os ativos de mesma classe;

6.5.3 Critérios de alocação de ativos e rebalanceamento das carteiras;

6.5.4 Alocação de ativos: horizonte de tempo e perfil do investidor

  • Alocação Estratégica em função da evolução do tempo do investimento;
  • Alocação Tática em função de alterações nas condições do mercado;

6.6 Acordo de Basiléia;

6.7 Gestão de Riscos em Fundos de Investimento e Carteiras Administradas;

6.7.1 Prêmio pelo Risco

6.7.1.1 Índice de Sharpe

6.7.1.2 Índice de Treynor

6.7.2 Índice de Modigliani

6.7.3 Valor em Risco de uma Carteira – VAR (Value at Risk)

6.7.4 Stress Test

6.7.5 Stop Loss

6.7.6 Back Testing

6.7.7 Tracking Error e Erro Quadrático Médio

7. Planejamento de Investimento (Certificação CEA DE 15% A 25 %)

7.1 Entrevista e Processo de Análise do Perfil do Investidor;

7.1.1 Instrução CVM: 539 e 554

7.1.1.1 Obrigatoriedade do API para Pessoa Física e Pessoa Jurídica, isenções e exceções;

7.1.1.2 Adequação de produtos ofertados em função do perfil do investidor.

7.1.2 Fatores Determinantes para Adequação dos Produtos de Investimento as Necessidades dos Investidores;

  • Objetivo do investidor
  • Horizonte de investimento e idade do investidor
  • Risco versus retorno;
  • Capacidade de assumir riscos;
  • Nível de risco suportável pelo investidor e sua tolerância ao risco;
  • Retorno esperado e retorno requerido;

7.1.3 Entendimento dos objetivos, necessidades, restrições e prioridades do cliente

7.2 Decisões do Investidor na perspectiva de Finanças Comportamentais

7.2.1 A decisão do investidor na perspectiva das Finanças Comportamentais;

7.2.2 As principais Heurísticas (regras práticas que orientam o julgamento e avaliação dos investidores);

  • Heurística da disponibilidade;
  • Heurística da representatividade ;
  • Ancoragem;

7.2.3 Vieses comportamentais do investidor;

7.2.3.1 Otimismo e suas influências na decisão de investimento;

7.2.3.2 Excesso de Confiança

7.2.3.3 Armadilha da Confirmação;

7.2.3.4 Ilusão do Controle

7.2.4 Efeitos de estruturação (framing);

7.2.5 Aversão à perda;

7.3 Planejamento de Investimento;

7.3.1 Princípios básicos do Processo de Planejamento Financeiro Pessoal;

7.3.2 Entendimento do risco pelo investidor;

7.3.3 Orçamento Pessoal: poupança e gastos correntes; receitas e despesas. Fluxo de caixa;

7.3.4 Balanço Patrimonial: ativos e investimentos; passivos, dívidas e financiamentos. Patrimônio Líquido;

7.3.5 Reserva de Curto Prazo (reserva de emergência): necessidade e dimensionamento;

7.3.6 Apresentação e escolha de alternativas e carteiras de investimento de longo prazo;

7.3.7 Apresentação e acompanhamento da performance dos investimentos e aderência ao perfil de risco do cliente;

7.3.8 Recomendação de mudança dos investimentos em função de mudanças relação de risco x retorno do mercado (rebalanceamento);

7.3.9 Alternativas financeiras adequadas ao planejamento fiscal em função da situação econômica do cliente.

Espero que você aproveite todo o conteúdo da Certificação CEA produzindo com carinho.

Certificação CEA
Certificação CEA
Deixe seu comentário.

sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.

Simple Share Buttons

Receba um e-book exclusivo com 7 passos    para passar na prova da ANBIMA!

x